PSD/Açores quer esclarecimentos do Governo Regional sobre AIR Center
2018-05-10 09:22:00 | Rádio Horizonte Açores

Os deputados do PSD/Açores no parlamento açoriano pediram ao Governo da região, socialista, um esclarecimento "de uma vez por todas" sobre os investimentos a efetuar no Centro de Investigação Internacional do Atlântico (AIR Center).

Em nota à imprensa, os deputados sociais-democratas pretendem saber se o centro, anunciado para os Açores, "terá apenas sede simbólica na região", sendo que declarações na terça-feira do ministro da Ciência e Tecnologia, Manuel Heitor, "não confirmam o que tem sido anunciado pelo executivo açoriano sobre a sede do Air Center".

"O Air Center foi apresentando por Vasco Cordeiro [presidente do Governo dos Açores] como uma das medidas para a mitigação da redução do efetivo norte-americano da Base das Lajes. Mas os anúncios de projetos, investimentos e equipamentos destinados a Portugal, no âmbito do Air Center, têm tido como destino outras localizações que não os Açores ou muito menos a Terceira”, afirma o deputado do PSD/Açores Luís Rendeiro, eleito pela Terceira.

Na terça-feira, em Cabo Verde, o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, disse que até novembro o AIR Center deverá avançar para projetos e iniciativas concretas a implementar gradualmente.

"Até novembro, nas Canárias, a ideia é passar do programa científico [do AIR Center] para projetos e iniciativas concretas para que possam gradualmente ser implementadas", declarou Manuel Heitor.

O ministro falava aos jornalistas na cidade da Praia, no âmbito do 3.º Diálogo de Alto Nível Indústria-Ciência-Governo, que juntou cerca de 300 cientistas, representantes de governos e empresários para analisar os avanços alcançados na execução do centro de investigação.

O encontro deverá marcar a finalização da fase conceptual do referido centro, com sede nos Açores, e a entrada na fase operacional daquela que será uma rede internacional de organizações de investigação oceânica e espacial na zona do Atlântico.

Manuel Heitor lembrou que a execução do centro e da rede de organizações é um processo longo e que a intenção não é impor uma agenda, mas que esta nasça dos desafios específicos de cada país.

"O centro não é português, não é cabo-verdiano. Será de todos os países que participam nele", disse, assinalando que pretende fazer a "federação" de uma série de infraestruturas científicas que existem no Atlântico, tendo como "sede simbólica" os Açores.

O ministro português disse ainda que prossegue a mobilização de financiamentos para a execução do centro.

"O Governo português já dedicou financiamento para este centro [10 milhões de euros] e, entretanto, temos negociado com a Comissão Europeia e já propusemos um contrato para financiar o arranque do AIR Center. Estamos a federar financiamentos em outros governos e [queremos] ter cada vez mais o acesso de instituições internacionais e de bancos de desenvolvimento", adiantou Manuel Heitor.

Na fundação do AIR Center estão envolvidos os governos de Portugal, Brasil, Espanha, Angola, Cabo Verde, Nigéria, Uruguai, São Tomé e Príncipe, juntamente com o Governo regional dos Açores.

O Reino Unido e a África do Sul estão, nesta fase, como países observadores.

O próximo encontro sobre o AIR Center está agendado para novembro, nas Canárias.


Notícias Relacionadas Horizonte