Deputado de Os Verdes defende que a SATA não tem que dar lucro
2018-05-16 09:17:00 | Rádio Horizonte Açores

O deputado do Partido Ecologista Os Verdes José Luís Ferreira declarou que a SATA não tem que dar lucro, manifestando-se contra a privatização de 49% do capital social da Azores Airlines.

“Esta ideia de que as empresas quando prestam um serviço público têm que dar lucro é um pouco estar a dizer que se vai fechar a torneira da água porque ela não dá lucro. Se presta um serviço público não tem forçosamente que dar lucro, mas sim servir as populações”, declarou o parlamentar no final de uma visita de dois dias à ilha de São Miguel.

José Luís Ferreira considerou que se se passar a Azores Airlines para a esfera privada “quem vai ser penalizado são as populações dos Açores e o país”, acrescentando que “não há um único exemplo de uma privatização que tenha sido feita no país em que o serviço público tenha melhorado”.

O deputado exemplifica com os CTT, uma empresa que afirmou dar lucro todos os anos, contribuindo com “receitas chorudas para o Orçamento do Estado”, que prestava um “excelente serviço público, reconhecido a nível internacional,” e agora encerra serviços e despede trabalhadores, dois anos depois da privatização.

Tendo sido confrontado com declarações da secretária regional dos Transportes, Ana Cunha, de que a SATA necessitava de “administradores mais profissionais”, o parlamentar responsabiliza o Governo dos Açores nesta matéria porque “é quem os nomeia”.

“Discordamos em absoluto da intenção do Governo Regional de proceder à privatização de 49% do capital da Azores Airlines porque não há um exemplo de uma privatização que fosse boa para as pessoas, para o interesse público, o país e economia”, frisou José Luís Ferreira.

Para o deputado, que referiu estar a viver-se uma fase de “travar algumas tentativas” de privatizar empresas, como foi o caso do Metro de Lisboa, CP no Porto, a Carris e a própria TAP, esta privatização nos Açores surge “contra a corrente”.

Na sequência do encontro com associações ambientalistas dos Açores, Os Verdes manifestaram-se também contra a solução de criação de uma incineradora na ilha de São Miguel para tratar os resíduos urbanos, uma vez que esta “contraria qualquer política sustentável de resíduos e não favorece a reciclagem e reutilização dos materiais”.

O deputado deixou ainda uma nota de preocupação com os animais do parque zoológico da Povoação, designadamente os macacos, referindo que este deixa uma imagem negativa em termos turísticos de São Miguel, dos Açores e do país

Notícias Relacionadas Horizonte